domingo, outubro 19, 2008

E-mail

Assunto: Maldição sobre jornalistas

Contam os alfarrábios que quando Deus liberou para os homens o conhecimento sobre a informação, determinou que aquele 'privilégio' iria ficar restrito a um grupo muito pequeno de pessoas. Mas neste pequeno grupo, onde todos se acham 'semideuses', já havia aquele que iria trair as determinações divinas. Aí aconteceu o pior! Deus, bravo com a traição, resolveu fazer valer alguns dos mandamentos do jornalista:
.
1º) Não terás vida pessoal, familiar ou sentimental.
.
2º) Não terás feriado, fins de semana ou qualquer outro tipo de folga.
.
3º) Estarás condenado ao eterno cansaço físico e mental.
.
4º) Terás gastrite, se tiveres sorte. Se fores como a maioria, terás úlcera, pressão alta, princípios de enfarte, estresse e depressão. E, perto de se aposentar, terás câncer.
.
5º) A pressa será tua sombra e tuas refeições principais serão o lanche da padaria da esquina, a pizza do pescoção ou uma coxinha comprada no buteco mais próximo do local onde realizarás as reportagens.
.
6º) Teus cabelos ficarão brancos antes do tempo; se te sobrarem cabelos.
.
7º) Tua sanidade mental será posta em xeque antes de completares cinco anos de trabalho.
.
8º) Ganharás muito pouco, não terás promoção, não terás perspectiva de melhoria e não receberás elogios de seus superiores e leitores. Porém, as cobranças serão duras, cruéis e implacáveis.
.
9º) Trabalho será teu assunto preferido; talvez o único.
.
10º) A máquina de café será tua melhor colega de trabalho; a cafeína, porém, não fará mais efeito.
.
11º) Os butecos que ficam abertos de madrugada serão tua única diversão e somente neles poderás encontrar malucos iguais a ti.
.
12º) Terás pesadelos freqüentes com horários de fechamento, palavras escritas erradas, reclamações de leitores, matérias intermináveis, processos, gritos ao telefone... E, não raro, isso acontecerá durante o período de férias.
.
13º) Tuas olheiras e mau humor serão teus troféus de guerra.
.
14º) Por mais que sejas um profissional ético, serás visto na rua como um canalha.
.
15º) E, apesar de tudo isso, haverá uma legião de “focas” querendo ocupar o seu lugar


::
...

Mas para que tudo isso aconteça, você ainda tem que estudar durante quatro anos, aturando toda uma gama de limitações estruturais, submeter-se a professores egocêntricos e bipolarmente transtornados, contar com a sorte para que seu diploma seja reconhecido pelo MEC, e ainda, rezar, para que a lei que estabelece a NÃO-necessidade de curso superior para o exercício do jornalismo não seja aprovada. O salário? Prefiro não comentar.

11 comentários:

Fernanda disse...

Publicitario tbm sofre assim ;((

Kethleen disse...

Na verdade, o capitalismo leva a todos que necessitam transformar sua força de trabalho em mercadoria a tais condições...

Tente manter o equilíbrio... pq não melhora com o tempo! rsrsrs

Fernanda disse...

mas os 12 kilos foram com reeducação alimentar somente? ou com atividade fisica??

aiii me connnta!!

O seringueiro Voador disse...

E ainda por cima terão blogueiros chatos apontando e ridicularizando teus erros...

se é que me entendem.

Nazaré disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Pollyana Dourado disse...

Seria cômico se não fosse trágico...
Triste fim de Policarpo Quaresma...
Essa "maldita" profissão se torna cada vez mais frustrante quando me deparo com tal situação:
Era uma vez duas amigas que tinham que comprar um presente para um amigo "jornalista". Chegando na loja elas viram aquelas lembrancinhas(copo, chaveiro, miniaturas,entre outros)que vem com os nomes de determinadas profissões. Óbviamente, elas procuraram a que tivesse o nome JORNALISTA. Porém, não encontraram tal proeza e decidiram perguntar à vendedora se existia algo relacionado à respectiva profissão. Impiedosamente, a logista respondeu: "só temos profissões que proporcionam dinheiro".
E cri né...
As duas amigas saíram da loja pensativas, refletindo sobre o cruel destino de seu pobre amigo, lascado e fudido jornalista...

Prezados leitores, essa história é real, ocorreu precisamente no dia 20/10/2008 18:45min.
Quem tiver o mínimo de piedade ajudem-nos...As duas amigas da respectiva história também serão jornalistas...

Façam suas doações no Banco do Lascado. Agência: 4057-9 Conta corrente: 23984-90

Desde já agradeço a coolaboração!

Pollyana Dourado disse...

Ah...e só para ressaltar: a repetição da palavra "Respectiva" foi, propositalmente, colocada em homenagem aos meus amigos jornalistas...
Que patético heim...

Manu Falqueto disse...

MEU DEUS não vejo a hora de chegar ao tormento fase dois: fora da faculdade...Ai, juro, espero ansiosamente por todos os carmas dos pecados cometido contra Deus.
Isso é muito muito bom!!! A insanidade leva a intensas emoções...
Caracas amigo, nossa profissão é boa,né?!
Sério, tu deve tá achando que estou tirando onda, mas não estou, quero demais tudo isso que vc escreveu...
...Sei, sou uma doida varrida...

Bryce, teu texto me deixou, no minimo MUITO empolgada. PARABÉNS!


p.s.ERRATA DA HISTÓRIA
Era uma vez duas amigas andando pelo mercado...
-Ai vamos ver as bolsas!
-vamos...
-Nossa que negocio legal. Hein, moça o que é isso aqui com as profissões?...
(A criatura não espera a vendedora se quer pensar)
-Manu, não tem da nossa profissão não. Só tem de profissão que dá dinheiro...
-Mas, o que é isso Polly?
-Sei lá...
-Bora lá que a lora tá chamando...

"Quem conta um conto aumenta um ponto."

Manu Falqueto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pollyana Dourado disse...

A história é minha e eu conto como quiser fia...Deixa de ser gaiata
hunf...

Charles Foster Kane disse...

Concordo com Manu Falqueto, em todos os aspectos.Essa profissão é tão maravilhosa, amada e odiada(mais odiada na verdade)por muitos. Vale a pena deixar a maioria de nossos sonhos consumistas escorrerem pelo ralo? Só para transmitirmos informação a pessoas que não conhecemos e que sequer durante a sua carreira(longa ou curta) terão a coragem de lhe tecer um elogio, por mais infimo que seja? Ô SE VALE!!!
a UFAC vai ter que me aturar mais alguns anos. "Não vim até aqui, pra desistir agora..."